quarta-feira, 31 de julho de 2013

Estudo revela que cantar ajuda no aprendizado de língua estrangeira


Pessoas que cantam para aprender línguas estrangeiras fixam o vocabulário com mais facilidade e por mais tempo. Falantes do inglês que participaram do estudo aprendem húngaro com mais facilidade.

Um estudo realizado pela Escola de Música da Universidade de Edimburgo, na Escócia, concluiu que cantar em uma língua estrangeira ajuda no aprendizado desse idioma. A pesquisa trabalhou com o idioma húngaro, considerado um dos mais difíceis e diferente para os europeus.

Para o estudo, vinte adultos de língua materna inglesa foram divididos em três grupos. Após ouvir frases em húngaro, um grupo as repetia cantando, o outro imitava o som ritmicamente e o último apenas as falava normalmente.

A pesquisa mostrou que o grupo cantante obteve o dobro do sucesso que o grupo que apenas repetia as frases. Além disso, os que aprenderam cantando também conseguiram se recordar das sentenças mais precisamente e por um período de tempo maior.

"O estudo fornece a primeira evidência experimental que o método escutar e repetir cantando pode auxiliar o aprendizado de um idioma, além de abrir portas para futuras pesquisas nessa área", afirma Karen Ludke, uma das autoras.

Para Ludke, outra questão a ser estudada é se a melodia serve como uma ponte para a memória, auxiliando na fixação de palavras e frases estrangeiras com mais facilidade. O estudo foi publicado na revista científica Memory&Cognition.

Benefícios para o cérebro

Outros estudos já demonstraram o benefício do aprendizado de uma segunda língua. Pesquisadores defendem que quanto mais cedo for o contato com um idioma estrangeiro, melhor será o desenvolvimento da proficiência em uma ou mais línguas. Além disso, os estudantes mais jovens ainda possuem a capacidade de adquirir pronúncia e entonação quase como um nativo.

As crianças que aprendem uma língua estrangeira no início na infância demonstram certas vantagens cognitivas sobre as demais. Uma pesquisa realizada no Canadá mostra que aqueles que são bilíngues entendem mais cedo o conceito de "permanência do objeto", ou seja, que um objeto permanece o mesmo apesar de receber um nome diferente em outro idioma.

Estudos mostram ainda que a aprendizagem de uma língua estrangeira aumenta as habilidades de pensamento crítico, criatividade e flexibilidade em crianças pequenas.

Autoria: Clarissa Neher 

---
Fonte: http://www.dw.de/ - Acesso em 31/7/2013